6 Comentários

  1. Author

    Olá, Jesus,
    Muito obrigado, e um grande abraço para você do Beto

  2. Olá Beto,

    A minha esposa quer fazer uma previdência,
    para um prazo de acumulação de 17 anos e
    com aportes de aproximadamente R$ 200 por mês.

    Pelo que conheço do perfil dela, alternativas
    como comprar diretamente quotas de PIBB11 está
    fora de cogitação, por vários motivos: o
    trabalho de acumulação de uma boa quantia
    em alguma outra aplicação (estimo pelo menos
    uns 5 meses para juntar R$ 1000) e posterior
    trabalho de movimentação para uma corretora
    com taxa aceitável.

    Também não quero sugerir PGBL/VGBL porque a
    exposição a renda variável seria muito limitada,
    para o longo prazo, na minha opinião.

    Idealmente, acho que eu gostaria de encontrar
    um fundo que investisse exclusivamente em
    PIBB11, a uma taxa de administração aceitável
    (digamos, 1% no máximo), e com taxa de carregamento aceitável, e com aportes
    mensais tão baixos quanto R$ 200. Fácil,
    não? 🙂

    Lembrei que os afortunados de “lá de fora” podem
    contar com o Morning Star para comparar as
    diversas alternativas de fundos:

    http://screen.morningstar.com/FundSelector.html

    Será que você por acaso não conhece algum
    serviço parecido para comparar os fundos abertos aqui no Brasil?

    Muito obrigado e um abraço,
    Éverton

  3. Author

    Olá, Éverton,
    Na postagem sobre fundos há um link para uma espécie de comparador. Não tão bom quanto o do Morningstar. Creio que existe serviço nesse sentido, mas é pago.
    Há fundo PIBB com taxa de 1,5% aa. Creio que a Caixa (R$100 mínimo) tem um e o BB também. Os bancos (inclusive os privados) que oferecem estes fundos têm uma espécie de “compromisso” como o BNDES, de oferecer o PIBB com taxas de administração mais baixas.
    Abraço do Beto

  4. Olá, pode me tirar uma dúvida por favor?

    As despesas com auditor independente estão dentro da taxa de administração ou são despesas independentes?

    Obrigado!

  5. Author

    Olá, Rafael,
    Infelizmente, o que muito pouca gente sabe é disso. Que a taxa de administração não serve para outra coisa que não remunerar a empresa.
    Todos os custos relevantes acabam caindo na conta do cotista.
    Isso é ruim porque o gestor acaba tendo pouco incentivo para reduzir esses custos e ainda pode obter uma receita extra, seja na forma de dinheiro, seja na de “vantagens pessoais” ou políticas. Por exemplo, ficar bem com a empresa de auditoria e receber uma indicação para ser contratado por outra empresa e por aí vai.
    Abraço do Beto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 9 =