6 Comentários

  1. ok. Você disse que era uma lenda urbana, disse que ela paga R$ 180 bi, mas não disse o porquê de ser uma lenda urbana. Se ele arrecadar menos do que paga?

  2. Beto,
    Achei esse artigo tão lúcido que não posso perder a oportunidade de cumprimentá-lo pelo soberbo trabalho.
    O seu blog e os seus livros são recursos preciosos, mais ainda para quem tem carência de educação financeira (meu caso).
    Obrigado mais uma por compartilhar a sua experiência e o seu bom senso financeiro.
    Abraços,
    Éverton

  3. Author

    Olá, Éverton,
    Você é uma pessoa muito gentil. Os seus comentários aqui no blog e no Fórum do Tesouro Direto demonstram, além disso, a sua modéstia em dizer que tem carência de educação financeira.
    Grande Abraço do amigo virtual Beto

  4. Author

    Olá, Rony,
    Excelente pergunta!
    A arrecadação não tem muito a ver com o pagamento aqui.
    Você sabe quanto o SUS arrecada?
    E as escolas públicas, arrecadam quanto?
    Sim, você acertou: 0 (zero)
    A segurança previdenciária é um direito constitucional, até que a população entenda de revolucionar a Constituição, significando que as pessoas terão direito a ela (previdência).
    Desta forma, dentre os direitos, ele é o melhor para os cofres públicos, porque ainda arrecada alguma coisa.
    O que pode ser mudado, como falo, são os montantes de garantia desta previdência. Este é o risco de quem paga por ela, mas, ainda assim, prefiro estar com a previdência e, podendo, poupar um pouquinho mais.
    Volto a agradecer por este comentário, que possibilitou jogar um pouco mais de luz sobre o tema, que é apaixonante e pouco discutido de maneira séria.
    Abraço do Beto

  5. Caro Beto,
    Sobre sua resposta ao Rony, no dia 02/09, sabemos muito bem que tanto o SUS quando as escolas públicas não têm arrecadação e, por essas e outras, entregam à população um serviço extremamente indigno (no caso da saúde) e imprestável (no caso da educação). É mais do que análogo às garantias que podemos esperar da previdência pública: benefícios aviltados, fator previdenciário para reduzir seu benefício OU trabalhe até quase 65 anos, incerteza quanto à criatividade de nossos legisladores de mudarem a regra do jogo daqui até a data de podermos usufruir de nossos direitos, pagos religiosamente pela vida laboral, e por aí vai. CONCORDO plenamente contigo: viver sua vida ativa sem contribuir para o INSS não é inteligente, não é recomendável. Há um mínimo de direitos que temos que garantir, como o auxílio acidente, o auxílio doença, entre outros. No entanto, benefícios mínimos, tenhamos sempre em mente. Daí, a enaltecer o direito constitucional do cidadão à previdência há uma grande distância. Com o mau uso descarado que nossos políticos fazem com o dinheiro público !! A previdência privada também tem que ser sempre considerada hoje em dia.

  6. Author

    Olá, Tarcisio,
    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Concordo que a previdência privada tenha que ser considerada, tanto que escrevi um livro quase todo só para dar a minha versão de como ela deva ser avaliada.
    Ao Rony, continua a minha sugestão.
    Abraço do Beto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 6 =